Fortaleza, cidade criativa!

II Seminário Arte pra quê te quero

19 e 20 de janeiro, 19h no canal do esticando no youtube.

O II Seminário Arte pra quê te quero tem como objetivo pensar a relação entre Arte e Sociedade a partir de reflexões envolvendo as áreas de Comunicação, História, Cultura, Política, Filosofia e Sociologia. Com o apoio da Lei Aldir Blanc e da Secretaria de Cultura de Fortaleza – SecultFor vamos discutir o tema: Fortaleza, Cidade Criativa! com os professores que compõem o Laboratório Criativo Esticando a Baladeira. Acreditamos que os temas explorados ao longo dos dias 19 e 20 de janeiro de 2021 contemplem os interesses de diferentes tipos de criativos atuando na cidade de Fortaleza. Desde estudantes de Comunicação, Arte, Design e áreas afins até os profissionais do mercado criativo como produtores culturais, dançarinos, atores, cineastas, músicos, artistas plásticos, ilustradores, quadrinistas e demais artistas independentes, bem como os entusiastas da potente produção cultural fortalezense.

Durante o seminário acontecerão oficinas sobre 4 temas, 2 em cada dia:

Dia 19/01/2021 | Cultura de resistência & Uso da arte como movimento político

Dia 20/01/2021 | Campanha publicitária & Planejamento de marketing digital

Cada oficina tem 1 hora de duração e a segunda é uma sequência do que for desenvolvido na primeira, sem que haja obrigatoriedade de participação em ambas para aproveitamento do conteúdo.

A metodologia de esticar o pensamento será utilizada na construção do produto final das oficinas enquanto ela acontece. Na conversa entre os participantes serão respondidas as questões provocadoras de cada momento das oficinas. Este método está exemplificado nos programas das duas primeiras temporadas do podcast Esticando a Baladeira e também no podcast Histórias Prováveis para Títulos Possíveis.

O produto das oficinas será o desenho de uma campanha sobre o tema das culturas de resistência.

Dia 19/01/2021, 19h

Cultura de resistência & Uso da arte como movimento político

Nossa oficina terá início abordando os conceitos de cultura a partir de autores da grande área dos Estudos Culturais e disciplinas afins. Autores como Raymond Williams, Stuart Hall e Achile Mbembe formam uma base, que se estende de acordo com a participação e desenvolvimento dos trabalhos na oficina.

A proposta se baseia na exposição da proposta seguida da mostra de alguns exemplos de arte decolonial, logo após a conversa será aberta para a participação dos que assistirem o seminário. Tudo será transmitido diretamente pelo Youtube no canal do Laboratório Criativo Esticando a Baladeira.

A oficina finaliza apresentando as questões que construírão o documento coletivo com o desenho de uma campanha on-line:

  • com quem quer resistir?
  • que luta assumir?
  • que voz usar?
  • que bandeira levantar?
  • que pontes construir?
  • que mensagem deixar?

Dia 20/01/2021, 19h

Campanha publicitária & Planejamento de marketing digital

Por definição, uma campanha pressupõe várias peças publicitárias – e não uma peça publicitária única –, que serão veiculadas em mídias diversas. Isso expressa alguns dos requisitos necessários para que seja definida como uma campanha: mais de uma peça, ou peças diversas, a serem veiculadas em mídias diversas.

A principal característica de uma campanha publicitária é que, seja qual for o meio ou ação explorada, as peças que a constituem devem preservar uma identidade entre si, uma uniformidade tanto editorial (textos) quanto visual, para causar sinergia entre eles com objetivo de aumentar o impacto da campanha. Nossa proposta é que essa identidade seja criada a partir do contato com a teoria decolonial.

A campanha publicitária pode ser constituída de peças em diversos meios de comunicação, seja de massa (rádio, televisão, jornais, revistas) ou segmentado (mala direta, telemarketing) que são explorados de acordo com um planejamento prévio de ações obtidos por dados colhidos em Pesquisa de Mercado, no decorrer de um período. Outra modalidade de ação que pode constituir uma campanha é a promocional (degustação, distribuição de brindes em pontos de venda, shows promocionais, desfile de modelos e eventos em geral). O desenho da nossa campanha apresentará opções que permitirão sua posterior aplicação de acordo com as intenções dos que participarem das oficinas.

A oficina finaliza apresentando os itens de uma campanha que se relacionam com o documento coletivo construído no dia anterior, com o desenho de uma campanha on-line:

  • projeto
    • avaliação de recursos disponíveis
    • objetivos da campanha
      • formação da equipe de trabalho (com quem resistir?)
      • definição do público-alvo (que luta assumir?)
      • linha de comunicação (que voz usar?)
      • ferramentas de marketing (que bandeira levantar?)
      • criação de canais (que pontes construir?)
      • forma de entrega da campanha e definição do conteúdo a ser produzido (que mensagem quer deixar?)

Ao término dos workshops, os participantes precisarão preencher um formulário para o recebimento do certificado.

Nos vemos lá =)

Fortaleza, Cidade Criativa! #03 – Criatividade na Periferia

Neste episódio contamos com a voz de Preto Zezé, presidente global da Central Única das Favelas – CUFA, uma rede de jovens das favelas empenhados na defesa dos direitos dos moradores das comunidades através de ações sociais e culturais e que hoje está representado em 17 países. Conversamos com ele sobre de que forma a criatividade está presente na periferia e como ela interfere no cotidiano das comunidades. Bora lá, que essa conversa está muito massa!

Fortaleza, Cidade Criativa do Design pela UNESCO – com Alberto Gadanha #02

Neste 2º episódio desta temporada com apoio da Lei Aldir Blanc, conversamos com Alberto Gadanha, designer gráfico e professor. Coordena projetos de inovação no Instituto Iracema e atua como ponto focal da Rede de Cidades Criativas da UNESCO representando Fortaleza na área do Design.

Fortaleza, Cidade Criativa! #01

Começamos a nova temporada Esticando a Baladeira – Fortaleza, cidade criativa! Está no ar o primeiro episódio da temporada especial apoiada pela Lei Aldir Blanc, por meio da Secretaria de Cultura de Fortaleza – Secultfor. Nele, nós explicamos o que é o projeto e o que mais ele envolve além de podcasts! Acompanhe com a gente!

Scroll to top